2005. Drama Box




Para Amália
- 2015 -
Delikatessen Café Concerto
- 2013 -
Senhora da Noite
- 2011 -

Ruas
- 2009 -
Drama Box
- 2005 -
Canto
- 2003 -

Ritual
- 2001 -
Paixões Diagonais
- 1999 -
Garras dos Sentidos
- 1998 -

Tanto Menos Tanto Mais
- 1995 -
Fado
- 1993 -
Mísia
- 1991 -

Clique em um álbum para mais informações

Ute Lemper,
Cantora


"Quando Mísia canta, somos transportados para um universo de paixão teatralizada e de profundidade emocional." [+]


FacebookYouTubeMySpaceTwitterFlickrSoundCloudiTunes



Drama Box (2005)

Sobre o Álbum

Drama Box são tangos, boleros, fados; são letras e músicas do sul que florescem de nervos e de vermelho aqui cantadas por Mísia. Como uma atleta de emoções, como dizia Kleist para falar dos grandes actores, Mísia faz-nos percorrer em Drama Box o ciclo irresistível da paixão: "primeiro hay que saber sufrir, después amar, después partir y al fin andar sin pensamiento..."

O amor como a tristeza não são próprios nem de um lugar, nem de uma época e, no entanto, em Drama Box somos transportados para uma cidade, é de noite e é de sempre. Pode ser que seja Buenos Aires, ou Lisboa, ou Paris, ou Barcelona, mas terá poetas febris pela paixão e músicos possuídos. E há concerteza no meio desta cidade para onde somos conduzidos pela voz de Mísia um espectáculo raro onde embarcamos, o único edificio que a paixão consente: o poço da morte, entretenimento popular e de risco. Porque ao ouvirmos Mísia cantar desta maneira, tanto portenha como portuguesa,somos atraídos para essa experiencia única, irresistível e veloz da descida ao poço que, agora, já dentro de cada um de nós, é um turbilhão de emoções, imagens, saudades, recordações, gestos e palavras antigas e, assim, à velocidade estonteante que estas canções trazem desafiamos o equilíbrio dos dias, o conforto das certezas, regressamos a uma animalidade ora desesperada, ora lânguida. Mas depois de ouvir Drama Box sabemos não haver outra saída digna para a desesperanza e só como amantes que continuam para além da perda seremos merecedores da vida.

Sabe-se da importância da imagem no trabalho de Mísia. Trata-se de uma atitude singular de gratidão para quem a ouve e para quem a vê, a quem ela se oferece nos palcos com a delicadeza de uma prenda oriental. Mas muito antes desta oferta há a voz e este modo de cantar a lembrança que a torna uma dor fisica em nós e em tudo em redor, e ilumina dentro do corpo os sentimentos perdidos ou os iludidos e de novo nos traz à vida. Estas canções fazem parte de uma religião sem deus, feita de ritos urbanos, excessivos e exuberantes, de encontros fugazes de esquinas, "quando se ateia em nós um fogo preso", de segredos e de pertença única. Não há que ter receio de o dizer: é no excesso da paixão como na desmesura que a perda traz que o maior de cada um se torna deus ou nada. Mísia canta e faz-nos sentir toda a intensidade na lembrança da flor que foi tocada, na porta que foi passada, como ardeu no peito o primeiro abraço, a saudade do primeiro riso e cantao naõ deixando nebulosas as palavras. Com uma dicção pura, uma forma de calcar as sílabas: as que mais doem pelo que mais trazem, e dilatando outras, aquelas que mais amor prometiam.

É verdade que não há nome de mulher mais comum que o de Maria como no tango "Yo Soy Maria" o que quer dizer que este sofrimento de perda é universal e no entanto, cada amado sente que a sua perda é única e a mais excessiva e a mais injusta e a grandeza desta obra musical que é Drama Box, dos seus arranjos, das letras, mas principalmente da interpretação de Mísia, é fazernos sentir únicos tanto na grandeza da paixão quanto na da perda. E isto é raro e só possível quando se é uma grande cantora.

António Pinto Ribeiro

Note

Fados, boleros e tangos, um trabalho que com conta a colaboração dos músicas Carlos Manuel Proença, José Manuel Neto, Daniel Pinto, Luís Cunha, Ricardo Dias, Victor Villena, António Aguiar e do arranjador Daniel Schvetz. Os excritores Vasco Graça Moura, Rosa Lobato Faria, Paulo José Miranda e José Luís Peixoto assinam os poemas inéditos de un Drama Box, que conta igualmente com a participação especial da artista Sophie Calle e das acrtizes Mararia de Medeiros, Carmen Moura, Fanny Ardant, Miranda Richardson e Ute Lemper.

Télérama FFF, França.


Tracklisting

Duração: 54'09

01. Ese Momento (4'03)
02. Te Extraño (4'11)
03. Fogo Preso (par Fanny Ardant) (1'19)
04. Fogo Preso (3'11)
05. Anjo Inútil (2'53)
06. Fado do Lugar-Comun (4'28)
07. E se a Morte me Despisse (2'29)
08. Gaivota Doente (3'33)
09. Se o Nosso Mundo Anoiteceu (2'34)
10. Cicatrizes (3'29)
11. Fado Adivinha II (2'53)
12. Coraçao Agulha (3'31)
13. Naranjo en Flor (3'35)
14. Los Marcados (3'50)
15. Yo soy Maria (4'13)
16. Fogo Preso (4'45)

Extratos Audio

Soundcloud: clique aqui


Fotos

Mais fotos: clique aqui



© Sophie Calle (No 1) & CB Aragão (No 2,3,4,5)



Vídeos

Videoclip "Ese Momento"